MENU

10/03/2022 às 13h48min - Atualizada em 11/03/2022 às 01h26min

PUTIN PEDE QUE OCIDENTE NÃO CULPE RÚSSIA POR AUMENTO NOS PREÇOS DA ENERGIA E PETRÓLEO

O líder russo chamou a atenção para o fato de que os Estados Unidos estão até tentando negociar com aqueles países em relação aos quais Washington impôs restrições ilegítimas

GRUPO EDITORIAL MARICÁ - Assessoria de Imprensa TASS
RUSSIAN NEWS AGENCY
© Alexei Nikolsky/Escritório de Imprensa e Informação Presidencial da Rússia/TASS

MOSCOU, 10 de março. /TASS/. O presidente Vladimir Putin acredita que o Ocidente está tentando culpar a Rússia pelo aumento dos preços da energia no mundo. O chefe de Estado expressou esta opinião em uma reunião com membros do governo na quinta-feira.

"Os preços lá (para transportadoras de energia nos países da UE - TASS) estão crescendo, mas não por culpa nossa. Isso é resultado de seus próprios erros de cálculo. Eles não devem nos culpar por isso", disse Putin.

"O mesmo se aplica ao aumento dos preços do petróleo e derivados nos Estados Unidos. Eles anunciaram que estavam fechando a importação de petróleo russo para o mercado americano, os preços estão altos, a inflação é alta sem precedentes, provavelmente atingiu todos os tempos Eles estão tentando jogar a culpa pelos resultados de seus próprios erros em nós", o líder russo descreveu a situação.

Segundo ele, isso é óbvio para os especialistas de mercado, "porque a oferta de petróleo russo ao mercado americano não ultrapassa 3%".


"Este é um volume insignificante, e seus preços estão subindo. Não temos absolutamente nada a ver com isso, e mesmo aqui a proibição das importações de petróleo russo não tem absolutamente nada a ver com isso. Eles apenas se escondem atrás dessas decisões para mais uma vez enganar sua própria população", disse Putin.

O líder russo chamou a atenção para o fato de que os Estados Unidos estão até tentando negociar com aqueles países em relação aos quais Washington impôs restrições ilegítimas.

"Eles estão prontos para fazer as pazes com o Irã, assinar imediatamente todos os documentos e com a Venezuela. Eles foram à Venezuela para negociar, mas não deveriam ter introduzido essas sanções ilegítimas", disse o chefe do Estado russo.

"O mesmo vai acontecer nas relações com o nosso país, disso não tenho dúvidas", sublinhou.


CONFIRA A REÚNIÃO DE PUTIN COM MEMBROS DO GOVERNO, EM DEBATE SOBRE AS SANÇÕES


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
No que podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...