MENU

27/04/2022 às 11h55min - Atualizada em 27/04/2022 às 20h57min

PRÉ-CANDIDATAS AO LEGISLATIVO PARTICIPAM DE JORNADA FORMATIVA EM PROJETO DO INSTITUTO MARIELLE FRANCO & MOVIMENTO MULHERES NEGRAS DECIDEM

Foram selecionadas pré-candidatas negras de 26 unidades federativas do Brasil para o projeto "Estamos Prontas", iniciativa que visa fortalacer habilidades para construção de campanhas eleitorais de nível estadual na perspectiva de uma agenda política antirracista, feminista, antilgbtfóbica e popular. O projeto ainda busca pré-candidata do Acre.

GRUPO EDITORIAL MARICÁ - Política Brasil via Cachoeira Bahia
Assessoria de Imprensa Estamos Prontas

O  projeto ESTAMOS PRONTAS, parceria entre INSTITUTO MARIELLE FRANCO (IMF) e o movimento MULHERES NEGRAS DECIDEM (MND) torna públicos os nomes das selecionadas para jornada formativa. Ao todo, participarão 27 (vinte e sete) mulheres negras pré-candidatas ao cargo de Deputada Estadual nas eleições de 2022, oriundas de todas as unidades federativas do Brasil. Mas ainda falta encontrar a pré-candidata do Acre. 

 

Entre as selecionadas, da região Norte do país estão Suane Brazão (SOLIDARIEDADE), do Amapá; Léo Simão (PT), de Rondônia; Francy Júnior (PT), do Amazonas; Bia Caminha (PT), do Pará; Ana Cleia Kika (PT), do Tocantins e Sirdennys Silva (PT), de Roraima; No Nordeste, Creuzamar de Pinho (PT), do Maranhão, Maria Rosalina (PT), do Piauí; Débora Marcolino (PT), de Alagoas; Márcia Ministra (PSOL), da Bahia;  Adriana Geronimo (PSOL), do Ceará; Bianca Quilombola (REDE Sustentabilidade), da Paraíba; Pretas Juntas - Candidatura Coletiva de Elaine da Silva e Debora Aguiar  (PSOL), de Pernambuco; Tati Ribeiro (PSOL), no Rio Grande do Norte; e  Iya Ligia de Exú (Mãe Lígia) (PT), de Sergipe. No Centro-Oeste, Lucilene Kalunga (PSB), de Goiás; Professora Bartô (PT), do Mato Grosso do Sul; Professora Graciele (PT), do Mato Grosso;

No
Distrito Federal, Renata Parreira (PSB); No Sudeste, Mulheres Negras Sim - Tainá, Lauana e Juhlia (PSOL), de Minas Gerais; Rafaela Albergaria (PT), do Rio de Janeiro; Camila Valadão (PSOL), do Espírito Santo; e Carmen Silva (PSB), de São Paulo. No Sul, Juliana Mittelbach (PT), do Paraná; Laura Sito (PT), do Rio Grande do Sul; Cirene Cândido e Vanda Pinedo (Candidatura Coletiva) (PT), de Santa Catarina. 

 

As coordenadoras do ESTAMOS PRONTAS acreditam que a  iniciativa contribuirá para o fortalecimento político de lideranças negras que já vem há anos contribuindo para melhorias em suas comunidades e territórios. 

 

"O projeto será como uma ponte entre o eleitorado e alguns dos melhores quadros políticos que o movimento brasileiro de mulheres negras foi capaz de produzir. São lideranças potentes, articuladas com os movimentos sociais e profundamente comprometidas com uma agenda programática capaz de trazer respostas assertivas às várias crises que enfrentamos", afirma Tainah Pereira, tal qual Coordenadora Política do movimento Mulheres Negras Decidem. 

 

Já Fabiana Pinto, também Coordenadora de Incidência e Pesquisa do Instituto Marielle Franco, afirma que o ESTAMOS PRONTAS chega com a missão de olhar para todo o país.
 

"Nós, mulheres negras, somos a maioria da população e por isso não há um estado hoje em que não estejamos profundamente envolvidas na reconstrução política partidária. Em nosso projeto, temos representantes quilombolas, ialorixás e mulheres LBTQIA+, representantes de movimentos de luta por moradia e terra, e tantos outros. Conseguimos refletir a mulher negra brasileira em toda sua complexidade".

 

A iniciativa irá fomentar o desenvolvimento de habilidades por meio de encontros virtuais realizados entre os meses de abril e julho, que irão abordar temáticas essenciais ao processo eleitoral brasileiro e ao legado histórico da participação de mulheres negras na política institucional, como: História do Movimento Negro e do Movimento Negro Feminista, Direito Eleitoral, Captação de Recursos, Comunicação, Gestão de Recursos, Segurança Digital e Física, Saúde Mental e Autocuidado, Formação de Rede e Articulação Territorial.

 

Para Anielle Franco, diretora executiva do Instituto Marielle Franco, o projeto ESTAMOS PRONTAS representa um sopro de esperança nas eleições que podem ser decisivas para milhares de brasileiros.


"O Brasil precisa dar uma resposta ao tanto de ódio e retrocesso que avançou em nosso país nos últimos quatro anos. Desde o assassinato de Marielle, que segue, após mais de 1500 dias sem resposta, nós não temos um dia de paz e isso só piorou desde que Bolsonaro e todos seus políticos apoiadores foram eleitos. A sociedade brasileira terá a chance de dar uma resposta a essa onda de ódio e essa resposta deve vir a partir da eleição de mulheres negras, como Marielle, como tantas de nós, em cada canto desse país".

 

PROJETO BUSCA PRÉ-CANDIDATA DO ACRE 

 

A intenção central do ESTAMOS PRONTAS é ampliar a representação na política institucional de mulheres negras, LBTQIA+ e periféricas, que atuam como lideranças coletivas, e em especial defensoras de direitos humanos. Foram três meses de processo seletivo, com mais de 200 lideranças inscritas. Mas, ainda falta encontrar uma liderança da região Norte, mais especificamente do Acre. 

 

Nathalia Carlos, Coordenadora de Articulação Política e Territórios do projeto, explica que muitas barreiras impedem o lançamento de candidaturas de mulheres negras na disputa eleitoral.
 

"A falta de estrutura e sobretudo a violência política de gênero e raça impõem um cenário de insegurança muito grave, especialmente em territórios marcados pelos projetos de poder da extrema direita, e por grupos ligados a milícias e do agronegócio. Esse cenário faz com que lideranças desistam de suas candidaturas antes mesmo do início do processo eleitoral".


E completa:
 

"Além disso, as recentes mudanças no código eleitoral também estão determinando mudanças na conjuntura eleitoral. Diante da necessidade dos partidos alcançarem o quociente eleitoral, muitas lideranças que antes viriam candidatas a deputadas estaduais agora estão se lançando a deputadas federais. Foi o que aconteceu com as selecionadas inicialmente no estado do Acre, mas seguimos tocando a seleção nesse estado e logo divulgaremos quem será a representante".

 

Atualmente, as mulheres negras ocupam apenas 2% de cadeiras no Congresso Nacional, ao mesmo tempo em que representam o maior grupo demográfico do país, representando mais de 28% da população brasileira. 

 

Conheça mais sobre o projeto em estamosprontas.org.


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
Como podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...