MENU

12/07/2022 às 20h29min - Atualizada em 14/07/2022 às 10h23min

ECONOMIA CIRCULAR EM MARICÁ SERÁ TEMA DE SEMINÁRIO REALIZADO PELO JORNAL O GLOBO, VEJA O VIDEO

Medidas que aliam desenvolvimento econômico e justiça social estarão na pauta dos debates com gestores da prefeitura e convidados especiais no Cine Henfil

GRUPO EDITORIAL MARICÁ - Economia
Agência O GLOBO

As medidas adotadas em Maricá que resultaram no aumento expressivo da economia circular, na transferência de renda mais equitativa e na real melhoria de vida da população da cidade, serão o eixo central do seminário “Maricá: economia circular para um desenvolvimento econômico e social sustentável”, que será realizado pelo jornal O Globo nesta quinta-feira (14/07), a partir das 9h, no Cine Henfil (Rua Alferes Gomes, 390, Centro). O evento é aberto ao público e será transmitido pelos canais digitais do jornal O Globo e também pelas redes sociais oficiais da Prefeitura de Maricá.

As políticas públicas que vêm sendo implementadas pela Prefeitura de Maricá entraram em evidência com a crise trazida pela pandemia de covid-19, quando as medidas de proteção asseguraram o suporte econômico a trabalhadores e empresários locais.  O programa de Renda Básica de Cidadania (RBC), com o pagamento do benefício na moeda social Mumbuca, também minimizou o impacto do desemprego em alta no período mais agudo da pandemia.

Mais que projetos, cidade mostra resultados concretos

Todas as iniciativas geraram resultados concretos que contribuem para uma economia circular na cidade e serão destaque no seminário, ressaltando que tais ações de gestão pública podem ser adotadas por outros municípios do país, a exemplo das moedas sociais que se inspiraram na Mumbuca, como a Arariboia, em Niterói; a Itajuru, em Cabo Frio, e Saqua, em Saquarema.

Estas ações ganharam impulso com a entrada dos recursos oriundos da exploração de petróleo nos cofres de Maricá, mas não dependem integralmente deles: o RBC é pago a pessoas em vulnerabilidade social desde 2013. Antes dos royalties do petróleo chegarem à cidade, a prefeitura já investia num sistema de transporte público com tarifa zero para a população e hoje com uma frota de 115 ônibus. Maricá também investe na formação de futuros profissionais pelo programa Passaporte Universitário, que financia bolsas de estudo integrais a mais de cinco mil estudantes em instituições de ensino superior privadas.

De Maricá para o Brasil

A abertura do seminário será feita pelo prefeito Fabiano Horta às 9h, e em seguida o jornalista Pedro Doria mediará o primeiro painel “Olhando para o futuro: o desafio de compatibilizar desenvolvimento econômico com justiça social”, cujos participantes são a ex-ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello; o presidente da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), Olavo Noleto; e o economista e pesquisador do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), Gabriel Galípolo.

Às 11h, o painel “De Maricá para o Brasil: o legado da cidade para um desenvolvimento econômico e social sustentável”, também mediado por Pedro Doria, reúne o professor do Instituto de Economia da Unicamp, Guilherme Mello; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Comércio, Indústria, Petróleo e Portos de Maricá, Igor Sardinha; e a ativista dos direitos dos indígenas We’e’Ena Tikuna.

As medidas adotadas em Maricá que resultaram no aumento expressivo da economia circular, na transferência de renda mais equitativa e na real melhoria de vida da população da cidade, serão o eixo central do seminário “Maricá: economia circular para um desenvolvimento econômico e social sustentável”, que será realizado pelo jornal O Globo nesta quinta-feira (14/07), a partir das 9h, no Cine Henfil (Rua Alferes Gomes, 390, Centro). O evento é aberto ao público e será transmitido pelos canais digitais do jornal O Globo e também pelas redes sociais oficiais da Prefeitura de Maricá.

As políticas públicas que vêm sendo implementadas pela Prefeitura de Maricá entraram em evidência com a crise trazida pela pandemia de covid-19, quando as medidas de proteção asseguraram o suporte econômico a trabalhadores e empresários locais.  O programa de Renda Básica de Cidadania (RBC), com o pagamento do benefício na moeda social Mumbuca, também minimizou o impacto do desemprego em alta no período mais agudo da pandemia.

Mais que projetos, cidade mostra resultados concretos

Todas as iniciativas geraram resultados concretos que contribuem para uma economia circular na cidade e serão destaque no seminário, ressaltando que tais ações de gestão pública podem ser adotadas por outros municípios do país, a exemplo das moedas sociais que se inspiraram na Mumbuca, como a Arariboia, em Niterói; a Itajuru, em Cabo Frio, e Saqua, em Saquarema.

Estas ações ganharam impulso com a entrada dos recursos oriundos da exploração de petróleo nos cofres de Maricá, mas não dependem integralmente deles: o RBC é pago a pessoas em vulnerabilidade social desde 2013. Antes dos royalties do petróleo chegarem à cidade, a prefeitura já investia num sistema de transporte público com tarifa zero para a população e hoje com uma frota de 115 ônibus. Maricá também investe na formação de futuros profissionais pelo programa Passaporte Universitário, que financia bolsas de estudo integrais a mais de cinco mil estudantes em instituições de ensino superior privadas.

De Maricá para o Brasil

A abertura do seminário será feita pelo prefeito Fabiano Horta às 9h, e em seguida o jornalista Pedro Doria mediará o primeiro painel “Olhando para o futuro: o desafio de compatibilizar desenvolvimento econômico com justiça social”, cujos participantes são a ex-ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello; o presidente da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar), Olavo Noleto; e o economista e pesquisador do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri), Gabriel Galípolo.

Às 11h, o painel “De Maricá para o Brasil: o legado da cidade para um desenvolvimento econômico e social sustentável”, também mediado por Pedro Doria, reúne o professor do Instituto de Economia da Unicamp, Guilherme Mello; o secretário de Desenvolvimento Econômico, Comércio, Indústria, Petróleo e Portos de Maricá, Igor Sardinha; e a ativista dos direitos dos indígenas We’e’Ena Tikuna.

VEJA O VÍDEO DO SEMINÁRIO:

ECONOMIA CIRCULAR PARA UM DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL SUSTENTÁVEL




Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
Como podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...