MENU

04/03/2021 às 21h00min - Atualizada em 19/03/2021 às 17h57min

BARRACA DO ACARAJÉ NO BANANAL EM PONTA NEGRA É INCENDIADA INTENCIONALMENTE

Acredita-se, que por causa da barraca estar localizada próximo a beira da estrada na mesma direção de um ponto de ônibus à uns 100 mt de distância, poderia ser um dos motivos de ter 'incomodado 'pessoas'; pois desde seu lançamento começou a ocorrer alguns fatos que lhe chamaram atenção, de uma possível perseguição religiosa ou comercial por estar neste local.

Editorial Maricá Exclusivo - M.B redação
Delegacia de Polícia Civil - B.O | Vítima
Em Novembro a empreendedora autônoma proprietária da BARRACA DE ACARAJÉ, que é uma especialidade gastronômica das culinárias africana e afro-brasileira. Trata-se de um bolinho feito de massa de feijão-fradinho, cebola e sal, e frito em azeite de dendê. No continente africano é conhecido como akara, e especificamente no norte da Nigéria é também chamado de kosai; Por isso a importância de sua preservação cultural, cultuado principalmente em Salvador na Bahia, lançou no Bairro do Bananal em Ponta Negra a sua Barraca de forma independente, na luta diária de uma trabalhadora, vale ressaltar, que ela possui já quase dois anos solicitação de licença na Secretaria de Postura e até agora está desassistida pela mesma, esperando por essa bendita licença, fora outras que não vale nem mencionar, por falta de assistência mesmo ao caso em si que vamos narrar, enfim, uma comida típica de Salvador, Ynguerecy mais conhecida na localidade como Mãe Enoia representante Sacerdote de Religião de Matriz Africana vislumbra a suspeita de algum tipo de Intolerância, pois há um histórico, que há suspeita de intolerância desde o seu lançamento da barraca no local, no qual essa pessoa suspeita que é proprietária de um estabelecimento comercial na localidade se mostrou insatisfeita com a presença da barraca no local.
 
Acredita-se, que por causa da barraca estar localizada próximo a beira da estrada na mesma direção de um ponto de ônibus à uns 100 mt de distância, poderia ser um dos motivos de ter 'incomodado 'pessoas'; pois desde seu lançamento começou a ocorrer alguns fatos que lhe chamaram atenção, de uma possível perseguição religiosa ou comercial por estar neste local.
Em Dezembro ela teve crimes de furto, dano em sua lona, do qual rasgaram a mesma, depois ela recebeu uma denúncia sobre sua barraca, ainda em Dezembro na secretaria de Postura, com isso, ela (Mãe Enoia) mudou a sua barraca de posição, colocando a barraca para trás da onde estava anteriormente, num terreno particular de um amigo que lhe cedeu o espaço dele, então, quem fez a denúncia no órgão da Prefeitura, na Postura, não foi bem sucedida(o) na sua intenção criminosa e com isso, por fim, tiveram essa estupidez ideia de atear fogo na barraca, um abuso covarde em tacar fogo na barraca dessa senhora, apenas por implicância ou por intolerância Religiosa, ela é uma trabalhadora querendo apenas trabalhar na sua humilde barraca, tendo o apoio de seus fregueses, demais amigos e amigas, e claro, do amigo que lhe cedeu o local para a sua permanência independentemente de licença. Pois ela se enquadra em sua preservação cultural do qual cultua, além da venda do acarajé, que é uma comida típica africana e afro-brasileira. Que merece ser respeitada independentemente de sua religião.
 
ENTENDA e AJUDE NO QUE PUDER 

No dia 16 de Fevereiro por volta das 06 da manhã a barraca pegou fogo só dentro dela como se vê nas imagens (anexos), no entorno da barraca, nada queimou e não tinha como ser curto circuito devido a energia está desligada na hora do incêndio, e o que leva a crer, o que tudo indica, ser uma intenção de ato criminal nesse incêndio por intolerância, pois as garrafas de dendê que continha liquido inflamável foram encontradas tampadas e vazias no chão fora da barraca, sendo que elas estavam na geladeira, vale ressaltar, infelizmente na hora do incêndio nada pode ser feito e ela veio à perder o pouco que tinha, por isso, nós do editorial resolvemos ajuda-la de alguma forma e encarecidamente pedimos à atenção de todos neste caso, quem puder ajuda-la de alguma forma à recomeçar com sua barraca e quiser ajuda-la, entre em contato pelo Whatsapp: (21) 97162-6985
Ou caso possa desde já, realize um depósito de qualquer valor (Quantia) em sua conta bancária para ajuda-la a comprar tudo novamente.

BANCO BRADESCO
AG 2868-1
Cc 0520063-6
Maria Enoia de Sousa Silva


*PERDEU TUDO NO INCÊNDIO DA SUA BARRACA DE ACARAJÉ, QUE ERA O ÚNICO SUSTENTO DA SUA FAMÍLIA.
QUEM PUDER AJUDAR ESTA SENHORA ENTRE EM CONTATO COM ELA.


ELA PRECISA DOS SEGUINTES ITENS:
  1. FOGÃO
  2. GELADEIRA
  3. TACHOS
  4. DESCARTÁVEIS
  5. MATERIAL PARA FAZER O ACARAJÉ
  6. BARRACA
  7. LONA
  8. ENFIM, TUDO PARA REATIVAR SUA BARRACA.

CONFIRA O DEPOIMENTO DA MÃE ENOIA POSTADO EM REDE SOCIAL, FOI QUANDO OBTIVEMOS CONHECIMENTO SOBRE O CASO TRISTE E COVARDE QUE ELA VEM ENFRENTANDO DIA APÓS DIA, ATÉ A RETOMADA DE SUAS ATIVIDADES.

OBSERVAÇÃO: PUBLICAREMOS VÍDEO COM MAIS DETALHES NARRADOS PELA PRÓPRIA MÂE ENOIA
 
TEXTO: Postado no dia 18 by Ynguerecy Sousa em Rede Social

"Boa noite. então, passando no grupo para pedir aos clientes e amigos da barraca do acarajé que fica no bairro bananal próximo a Ponta Negra."

"Que vamos ficar fechados por um tempo, pois ontem pela manhã fomos vitima de incêndio. Queimou tudo o que tinha dentro da barraca, geladeira fogão e etc." Desde já, agradeço a todos que nos prestigiou nesses 3 meses de funcionamento e peço a todos que reze por nos e que agente consiga comprar tudo e de novo e em breve reabriremos a barraca do acarajé. Sigamos em frente sendo a resistência.... Axé à todos!


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
No que podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...