MENU

10/08/2022 às 19h42min - Atualizada em 11/08/2022 às 00h52min

GUERRA DE FACÇÕES CRIMINOSAS GERA ACUSAÇÕES GRAVÍSSIMAS ENTRE DEPUTADO POUBEL E O EX-PREFEITO QUAQUÁ, VEJA...

EXCLUSIVA POUBEL E QUAQUÁ - "Estão tramando violência e brincando com a vida do povo e a imagem da cidade para fazer politicagem! FDPs! acrescenta Quaquá; CAOS EM MARICÁ! A Cidade está sendo invadida por Narcoterroristas da maior facção do Estado do RJ, tudo com anuência do atual Prefeito Fabiano Horta e participação do ex Prefeito Washington Siqueira. Expressa Deputado Estadual Fillippe Poubel

GRUPO EDITORIAL MARICÁ - Exclusiva
Redação
*Imagem meramente ilustrativa*
GUERRA DE FACÇÕES CRIMINOSAS GERA ACUSAÇÕES GRAVÍSSIMAS ENTRE DEPUTADO POUBEL E O EX-PREFEITO QUAQUÁ, VEJA...
 
#Exclusiva #Opinião - A que ponto chegamos com os discursos de ódio de nossos políticos que infelizmente a própria população escolhe para nos representar, é lamentável tamanha ignorância e analfabetismo político em meio a nossa sociedade manipulada, por discursos vazios de pura demagogia quando momento é oportuno, pois todos sabemos dos diversos casos de abusos, covardias e diversos absurdos inacreditáveis que ocorrem nos bastidores da política, que muitas das vezes fica no obscuro e não vem a tona para o conhecimento da grande massa da população, como já não bastassem os casos de corrupção, fica agora evidente para o conhecimento da população os supostos envolvimentos de políticos com organizações criminosas como, grupos de milícias e Narcotraficantes, disso não temos dúvidas já fazem um bom tempo, só que agora fica cada vez mais evidente para a população, visto que os próprios mencionados em questão trouxeram isso hoje a tona (dia 10/08/2022), pois o assunto em questão já estava circulando pelos bastidores da política Maricaense.
 
A possível Guerra declarada entre facções criminosas na cidade de Maricá gera polêmicas que muitas das vezes tentam de forma leviana descredibilizar o trabalho da imprensa, o fato é, guerra entre CV (Comando Vermelho) versos TCP (Terceiro Comando Puro) gerou ACUSAÇÕES GRAVÍSSIMAS entre políticos de Maricá, com direito até de discurso na ALERJ por parlamentar da direita visto tamanha gravidade dos últimos episódios da invasão de facção criminosa e claro, réplica de acusado citado que rebateu com duras acusações inclusive chamando de viado.
 
Com essas baixarias expostas pelos próprios políticos nós do Grupo Editorial Maricá não poderíamos deixar de menciona-los e eis à questão? Claro e Evidente; Tudo indica que trata-se de uma disputa de PODER por MAIS PODER, pelos controles de pontos de tráfico; Mais a verdade à quem interessa tudo isso, eis às diversas questões que ficam no ar!!!!


Para serem investigadas e esclarecidas pelas autoridades competentes dessa cidade, eis à questão?...., ou farão vistas grossas como Fabiano o fez, emitindo nota insinuando fake news sobre a imprensa do qual a mesma estava criando boatos e inverdades sensacionalistas....e ainda por cima, expressou de forma demagoga e leviana, que os canais oficiais do governo são os únicos que falam a verdade, quer dizer, a imprensa é sensacionalista e mentirosa, que cria e espalha FAKE NEWS, na opinião do Prefeito Fabiano Horta, parte da imprensa de Maricá pratica FAKE NEWS segundo o próprio Prefeito, diz ele em nota que a imprensa comete crime, pois disseminar e compartilhar INFORMAÇÃO FALSA (FAKE NEWS) É CRIME... pois bem, somos nós que praticamos crime né Prefeito?

Realmente, vocês são os exemplos de honestidade para a nossa sociedade para não se dizer ao contrário... mais enfim, a população sabe quem é quem ou finge que sabe, e o povo é a nossa própria fonte, e não precisamos provar nada pra ninguém sobre o trabalho do qual exercemos, pois um Jornal Consciente não abre mão do seu DIREITO de CRÍTICA, pois todo o resto é mera publicidade, por fim, questionar e fazer refletir, pois a própria população sabe das verdades dos fatos e contra-fatos não há argumentos, simples assim....!
 

Fazemos das mesmas palavras do jornalista....; "Infelizmente, possivelmente é o que tudo indica"....
 

"Estão tramando violência e brincando com a vida do povo e a imagem da cidade para fazer politicagem! FDPs! expressa Quaquá em sua rede social...


"Há quem ponto chegamos hein"....? lamentável.....!
finaliza o jornalista Michael Brugger


 
CAOS EM MARICÁ! A Cidade está sendo invadida por Narcoterroristas da maior facção do Estado do RJ, tudo com anuência do atual Prefeito Fabiano Horta e participação do ex Prefeito Washington Siqueira.

São diversos ataques coordenados por conta da disputa dessa ORCRIM chamada PT!

Encaminhei ofícios para o comando geral da PM e para o governador Cláudio Castro, solicitando reforço do policiamento na cidade. finaliza o Deputado Estadual Fillippe Poubel em sua rede social.


O deputado e o ex-prefeito trocaram acusações gravíssimas dos quais às autoridades devem investigar, pois se brinca com a vida humana e trata-se de organizações criminosas que se instalam em nossa cidade com o consentimento de autoridades políticas, pelo que tudo indica diante aos últimos acontecimentos dos fatos mencionados, segundo DENÚNCIA pelas ambas acusações partindo deles próprios; um desses dois políticos supostamente tramou junto à organização criminosa do Comando Vermelho devido os acontecimentos dos últimos dias principalmente, do qual presenciamos cenas de guerra, filme de terror, numa invasão de cinema com bandidos camuflados e uma série de episódios de violência pela cidade em toda a parte; foi surreal tamanha audácia e cara de pau dessas organizações, caso isso seja verdade esperamos pela justiça e PUNIÇÃO, ou será mais uma prática sórdida e sensacionalista por parte desses atores em menção, para poder surfar na onda midiática da imprensa e receber o devido holofote, e será que isso possivelmente é verdade, eis à questão e tire suas próprias conclusões, pois em Marilá tudo É POSSÍVEL e TÁ DITO!!!! 

Concluíndo; A OAB de Maricá se pronunciou diante os episódios de violência por toda cidade de Maricá e declarou, queremos um Batalhão da Polícia Militar na Cidade de Maricá, no RJ. Leia a seguir a nota da OAB de Maricá;
 
MARICÁ ! A CIDADE QUE ABRAÇA, NÃO TEM BATALHÃO DA PMERJ ...

O município de Maricá está escrevendo sua história com elementos que se misturam. De um lado, a expansão imobiliária, os investimentos na infraestrutura da cidade, o crescimento do turismo, e tantas outras conquistas que colocam a nossa cidade dentre as mais importantes e prósperas do Estado.

Por outro lado, cresce a insegurança no trânsito, nas ruas dos bairros, cresce a violência em suas mais variadas faces. Seria este o preço a ser pago pelo desenvolvimento? Cremos que não!

As políticas públicas não podem olhar apenas para um viés. É necessário desenvolver ações e políticas públicas que amparem a população também no seu direito constitucional à Segurança. Neste ponto, façamos nosso “mea culpa”, está-se deixando a desejar.

E muito! Sabemos que os problemas que envolvem a segurança pública são históricos e crônicos na cidade e no Estado do Rio de Janeiro, e no país inteiro.
Sabemos que o Rio de Janeiro, como uma das maiores cidades do mundo, traz consigo as dores e as delícias de ser o que é, e como é.
Mas Maricá não precisa, não pode e não deve esperar chegar a esse ponto. Há de se planejar e buscar ações imediatamente para se evitar o caos no setor de segurança pública.

Estamos tratando de uma espécie de “crônica de uma morte anunciada”.  Para acompanhar o crescimento, o desenvolvimento, é necessário criar uma estrutura ampla que dê conta, com eficácia, do setor de segurança.

Não podemos ficar esperando, olhando a banda passar. É necessário agir já ! Onde está o esforço para trazer um Batalhão da PM para a cidade, por exemplo?

É claro que numa cidade de violência conflagrada, podemos abrir 10 Batalhões que não alcançaremos a paz ou a segurança. Em geral, essa soma é sangrenta e só faz aumentar a insegurança.

Queremos um Batalhão da PM para a prevenção. Para a ostentação da segurança pública espalhando ordem!
Não exaltamos e nunca exaltaremos as ações de repressão que quase sempre são catastróficas e vitimizam mais que apresentam soluções satisfatórias.

Queremos PREVENÇÃO !

Políticas públicas de PREVENÇÃO. Por isso, a OAB de Maricá está arregaçando as mangas para se unir aos poder público e agir em prol de uma maior segurança para a população. Eventos como os que aconteceram neste fim de semana na cidade não podem ser rotina.

Não podemos deixar de ressaltar o importante papel das forças policiais que atuam na cidade. Valorizamos e exaltamos o bom trabalho das polícias. Precisamos unir forças para que Maricá se torne, de fato e de Direito, uma das melhores cidades do país para se viver !

Em breve, divulgaremos nossas agendas para debater e tratar desses temas com a categoria da advocacia, com a sociedade civil e com o poder público. Vamos à luta !
__________________________________

#FiqueSabendo #História #Organizações #Criminosas #SaibaMais #Maricá

SOBRE O COMANDO VERMELHO

- O Comando Vermelho Rogério Lemgruber, mais conhecido como Comando Vermelho e pelas siglas CV e CVRL, é uma das maiores organizações criminosas do Brasil. Foi criada em 1979 no Instituto Penal Cândido Mendes, na Ilha Grande, Angra dos Reis, Rio de Janeiro.

A facção descende da Falange Vermelha e foi criada por Rogério Lemgruber e o colegiado, ainda na década de 1970. Uma das primeiras medidas do Comando Vermelho foi a instituição do "caixa comum" da organização, alimentado pelos proventos arrecadados pelas atividades criminosas isoladas, daqueles que estavam em liberdade, o dízimo.

O dinheiro assim arrecadado serviria não só para financiar novas tentativas de fuga, mas igualmente para amenizar as duras condições de vida dos presos, reforçando a autoridade e respeito do Comando Vermelho no seio da população carcerária.

No início dos anos 1980, os primeiros presos egressos da Ilha Grande começaram a pôr em prática todos os ensinamentos que haviam adquirido ao longo dos anos de convivência com os presos políticos, organizando e praticando numerosos assaltos a instituições bancárias, algumas empresas e joalherias.

Houve diversas disputas internas pelo controle do tráfico de drogas e dos territórios conquistados, com esse embate, os ex membros do CV criaram a facção ADA (Amigos dos Amigos), que por sua vez também tiveram dissidentes, dessa forma, criaram a facção TCP (Terceiro Comando Puro).

Ainda no início da década de 1990, a facção influenciaria a criação do Primeiro Comando da Capital, em São Paulo. Dela surge ainda uma espécie de dissidência, posteriormente reincorporada, o Comando Vermelho Jovem.

Na década de 2000, diversas favelas controladas pela facção passaram a ser ocupadas por milícias e por Unidades de Polícia Pacificadora.

Em 2016, o Comando Vermelho e o Primeiro Comando da Capital romperam, em razão de disputa de territórios nas fronteiras do Brasil com Paraguai, Bolívia e Colômbia, o que ocasionou numa rebelião em presídios de Rondônia e Roraima. CV e PCC eram aliadas há quase duas décadas.

Sobre o Comando Vermelho Jovem

Após a morte de Orlando Jogador, um traficante do Complexo do Alemão assassinado por Ernaldo Pinto de Medeiros, o Uê, a ala mais jovem do Comando Vermelho nutriu um ódio mortal por Uê, que era apadrinhado por um dos fundadores do Comando Vermelho na época, o criminoso Escadinha. Entre aqueles que queriam Uê morto, estavam os chefes mais jovens do Comando Vermelho como Marcinho VP e outros criminosos da de renome dentro da facção.

O bandido, porém, foi salvo por Escadinha e a ala mais sênior do bando. Os insatisfeitos criaram, então, o Comando Vermelho Jovem (CVJ), liderado por Marcinho VP, que vinha ganhando poder na facção e se tornou inimigo mortal do assassino de Orlando. Uê deixou o CV, mas continuou crescendo no mundo do crime e fundando a facção Amigos dos Amigos, onde posteriormente foi morto na rebelião de Bangu 1 em 2002.

O nome da facção voltou a ser Comando Vermelho, sendo abolido o termo 'Jovem' que tinha na época.
Já o Terceiro Comando Puro, conhecido também pela sigla TCP, é uma organização criminosa carioca, surgida no Rio de Janeiro, a partir de uma dissidência do Terceiro Comando, liderada pelos traficantes Facão e Robinho Pinga.

Complexo de Israel

Parte das lideranças do TCP fundaram o Complexo de Israel, um conjunto de favelas formada pelas comunidades de Parada de Lucas, Cidade Alta, Vigário Geral, Pica-Pau e Cinco Bocas.
Nas regiões comandadas pelo traficante Álvaro Malaquias Santa Rosa, vulgo Peixão, foram erguidas bandeiras de Israel e estampadas estrelas de Davi nos muros, símbolo maior do judaísmo, em diversos pontos.

Hierarquia

Atualmente a organização é liderada por Bruno da Silva Loureiro, o Coronel, oriundo da favela do Muquiço, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. É conhecido como Coronel por participar de todas as guerras do TCP. Segundo a Polícia Civil, Bruno forneceria os pilotis das construções irregulares das milícias de Rio das Pedras e da Muzema. Ele estaria acima de Álvaro Malaquias, o Peixão, na hierarquia do tráfico.

em atualização link video*
VEJA O VÍDEO....

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
Como podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...