MENU

20/05/2021 às 18h27min - Atualizada em 20/05/2021 às 21h38min

CAMPEÃO PARALÍMPICO RECEBE VACINA EM AÇÃO CONJUNTA DA PREFEITURA DE MARICÁ E O CONDEF

A ação de imunização de pessoas com deficiência acima de 18 anos realizada nesta quinta-feira (20/5) na Igreja Batista Atos 2, em Itapeba, teve uma estrela do esporte nacional entre os 97 vacinados. Morador de Itaipuaçu desde o ano passado, o ex-atleta paralímpico Clodoaldo Silva foi até o local para receber sua primeira dose do imunizante AstraZeneca.

Grupo Editorial Maricá - Exclusiva
SECOM - Assessoria de Imprensa - Maricá
Fotos Clarildo Menezes - SECOM
A ação de imunização de pessoas com deficiência acima de 18 anos realizada nesta quinta-feira (20/5) na Igreja Batista Atos 2, em Itapeba, teve uma estrela do esporte nacional entre os 97 vacinados. Morador de Itaipuaçu desde o ano passado, o ex-atleta paralímpico Clodoaldo Silva foi até o local para receber sua primeira dose do imunizante AstraZeneca. O espaço cedido à Prefeitura recebeu a primeira dessas ações, que vai passar pelos outros três distritos da cidade nos próximos meses para facilitar o acesso deste público à vacina.

Com cinco participações em paralimpíadas onde conquistou seis medalhas de ouro, outras seis de prata e duas de bronze na natação, Clodoaldo deu parabéns à Prefeitura e ao Condef pela iniciativa. "A gente está vendo o que acontece no Brasil e no mundo o que esse vírus está fazendo, e poder se vacinar é algo que vale outro. Hoje, a vacina é minha maior medalha, e espero que essa iniciativa seja um exemplo para o país",
celebrou o ex-atleta.

 

 
Outras pessoas que foram vacinadas falaram do alívio que é estar imunizado.

"Perdi um primo e outras pessoas conhecidas para a Covid-19. Para mim é um livramento receber a vacina", contou Claudenise da Silva, de 50 anos, que foi a Itapeba mesmo morando em Itaipuaçu, onde a ação ainda vai chegar. 

 

Aos 62 anos e já vacinada, Genilda Vale Guedes levou para a neta Jenifer Vale Assis, de 25 anos, para receber sua primeira dose. Ela sofre de digenesia de corpo caloso, uma má
formação cerebral que a impede de andar e falar. "Ela gosta de dar as voltinhas dela, mas não estávamos saindo de casa por causa da pandemia, nem de ônibus. Depois da segunda dose, vamos poder voltar a passear", projetou a avó.

 
 

A secretária de Saúde de Maricá, Simone da Costa, visitou o local de vacinação e afirmou que a segunda dose das pessoas com deficiência está garantida. "Temos uma reserva de doses da AstraZeneca que será voltada para a completar a imunização deste público. Montamos esta ação conjunta com o Condef para que esse grupo de pessoas se sinta mais acolhido neste momento", explicou, lembrando que as próximas etapas nos outros três distritos ainda terão datas e locais definidos, pois aguarda a chegada de novas doses. 
 
 

O presidente da entidade, Renê Lazzari, revelou que a ação servirá também para a realização de um censo das pessoas com deficiência na cidade. "Nossa missão é garantir direitos para essas pessoas. Por isso, procuramos a prefeitura para que a vacina pudesse cobrir esse grupo de forma especial", reforçou.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
No que podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...