MENU

22/06/2021 às 15h23min - Atualizada em 23/06/2021 às 20h19min

GESTANTES, PUÉRPERAS E LACTANTES COMEÇAM A RECEBER VACINAÇÃO CONTRA COVID-19 EM MARICÁ

ATUALIZAÇÃO: A vacinação contra a Covid-19 em Maricá está tendo o calendário ampliado a partir desta segunda-feira (21/6). Além do retorno da aplicação em gestantes, puérperas e pessoas por idade (começando pelas mulheres de 59 anos ou mais), a imunização chegou às lactantes, que são as mães em fase de amamentação.

Grupo Editorial Maricá - Exclusiva
SECOM - Assessoria de Imprensa Maricá
A vacinação contra a Covid-19 em Maricá está tendo o calendário ampliado a partir desta segunda-feira (21/6). Além do retorno da aplicação em gestantes, puérperas e pessoas por idade (começando pelas mulheres de 59 anos ou mais), a imunização chegou às lactantes, que são as mães em fase de amamentação.

Nesta terça-feira (22), será a vez dos motoristas do transporte público da EPT e, na quarta (23), os da viação Nossa Senhora do Amparo.

 
As lactantes, juntamente com as puérperas e gestantes, recebem suas doses do imunizante no Posto de Saúde Central. Em razão da grande procura neste primeiro dia, a Secretaria de Saúde de Maricá passará a vacinar somente as lactantes com crianças de até 12 meses de idade, seguido a orientação da nota técnica número 13 do Ministério da Saúde e da resolução 2.323 da Secretaria Estadual de Saúde.

"Teremos que utilizar essas determinações porque ainda temos uma quantidade limitada de doses para aplicar", explicou a subsecretária de Saúde, Solange Oliveira.

Entre as que foram ao posto na abertura, a sensação era de alívio pelo momento da vacina.

"Estava muito ansiosa e vim assim que soube que iriam vacinar. Estou com um bebê de 10 meses em casa e ainda tenho de trabalhar. Agora dá mais tranquilidade" ,celebrou Carine Santos de Matos, que tem 32 anos e mora no Boqueirão.

Já Caroline da Silva Almeida, de 31 anos, foi receber sua dose levando a pequena Alice, nascida há apenas uma semana.

"O vírus está por aí e fiquei feliz de chegar minha hora. Agora é melhor para amamentar ou quando precisar ia ao médico", avaliou ela, que mora na Mumbuca.


Perto dali, no Posto de Saúde da Família do Centro, recomeçava também a vacinação por idade, com mulheres a partir dos 59 anos.

Neste local, a procura foi mais tranquila e não havia fila de espera. Entre as que foram se vacinar estava Rosana Araújo, de 62 anos, que contraiu a Covid-19 chegando a ficar 15 dias entubada no Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, com 75% dos pulmões comprometidos.
 

"Me considero uma vencedora depois de tudo o que passei e conseguindo me vacinar agora, sendo que fui a única infectada na minha família. Digo a todos que venham se vacinar também", recomendou a moradora de São José de Imbassaí.


 
Com exatos 59 anos, Flávia Noronha Passaroto disse estar emocionada com a oportunidade.

"Ninguém da minha família se contaminou porque todos mantiveram os cuidados mesmo após a vacina, e agora chegou a minha vez. Estou muito feliz", revelou ela, que mora em Itapeba.

Gestantes e puérperas devem se vacinar contra a Covid-19 somente com prescrição médica

 
ATUALIZAÇÃO: A Secretaria de Saúde anunciou nesta terça-feira (22/06) que houve uma mudança na regra de vacinação contra a Covid-19 para gestantes, lactantes e puérperas.

A partir de agora, gestantes e puérperas, com ou sem comorbidades, deverão se vacinar somente condicionada à prescrição médica após análise de risco. 

A alteração foi solicitada pela Secretaria Estadual de Saúde, através da Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária em Saúde, por meio de ofício encaminhado às secretarias municipais, de forma a proteger a população de maior risco de adoecimento e maior risco de evolução para formas graves, além de ampliar a oferta da vacinação ao público alvo prioritário definido pelo Ministério da Saúde na campanha de imunização contra a Covid-19.

No caso de lactantes até 12 meses após o parto, não é necessário interromper o aleitamento materno, sendo permitida a doação de leite após a vacinação. 

Outra mudança importante para esse grupo é que, caso já tenha sido vacinado com o imunizante da AstraZeneca, deverá aguardar 45 dias após o parto para receber a 2ª dose. 

"Já para aquelas que ainda não foram vacinadas, deverão ser imunizadas com vacinas que não contenham vetor viral, como a Coronavac e Pfizer, disponíveis pelo Plano Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde", disse a subsecretária de Saúde, Solange Oliveira.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
No que podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...