MENU

21/11/2021 às 22h57min - Atualizada em 24/11/2021 às 20h39min

MARCELO DELAROLI INSTITUI CARTEIRA DE IDENTIFICAÇÃO DO AUTISTA E PORTADOR DE SÍNDROME DE DOWN

Garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade dos moradores com transtorno do espectro autista no atendimento e acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.

GRUPO EDITORIAL MARICÁ - Utilidade Pública
Assessoria de Imprensa Itaboraí
Esse foi o objetivo que fez o prefeito de Itaboraí, Marcelo Delaroli, sancionar a Lei Complementar nº 272, de 04 de novembro de 2021, que cria carteira municipal de identificação da pessoa com transtorno do espectro autista (CMIPTEA) e pessoas portadoras de síndrome de down.

A carteira de identificação simplificada será expedida pelo órgão municipal responsável pela política de inclusão social, através de requerimento, acompanhado de laudo médico e deverá conter no mínimo as seguintes informações: número da carteira, nome completo da pessoa, endereço completo e telefone; nome completo de pessoa de referência e telefone; tipo sanguíneo; informações importantes em caso de emergência; e as carteiras simplificadas deverão conter o símbolo identificador.

O prefeito de Itaboraí, Marcelo Delaroli, ressalta que a carteira é importante, já que o autismo não é visível como a síndrome de down ou a deficiência física, por exemplo, facilitando a comprovação do transtorno. Além do documento contribuir para garantir os direitos da pessoa com TEA e desburocratizar o acesso delas a serviços públicos.

 

"Já vi muitas mães passarem constrangimentos e até humilhações porque não dá para saber que seus filhos são autistas. Muitas pessoas confundem com mau comportamento, acham que a criança é birrenta, sendo que ela tem um transtorno. Parece pouco, uma carteirinha, mas isso é muito para quem tem uma criança autista na família. Essa sanção é importante para a nossa cidade e ao mesmo tempo para todos os pais, mães, avós, avôs e familiares que se dedicam aos filhos, sobrinhos, netos que são portadores do transtorno", comentou o chefe do Executivo.


Para as pessoas com síndrome de down, as carteiras deverão conter o laço azul e amarelo e as pessoas com transtorno espectro autista deverão conter o laço em quebra-cabeça. A carteira de identificação simplificada, não tem prazo de validade mas deve ser mantidos atualizados os dados cadastrais, a fim de possibilitar a identificação e quantitativo das pessoas atendidas por essa iniciativa.

A Prefeitura de Itaboraí irá fornecer selo de identificação, conforme o símbolo para síndrome de down ou para transtorno espectro autista, para ser fixado nos veículos que transportem as pessoas atendidas por esta Lei, atendendo as identificações de prioridades para estacionamento. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

O que você acha? CANCELA O CARNAVAL EM 2022? Na sua opinião, outros prefeitos deveriam fazer o mesmo?

26.2%
22.3%
14.4%
37.2%
Fale conosco!
Atendimento do Grupo Editorial Maricá
No que podemos ajudar? Envie sua mensagem, dica de pauta, crítica, sugestão ou denúncia...